Justiça Social

MANIFESTO CONTRA XENOFOBIA

Nós estamos no terceiro milênio. Convivemos com problemas de Ordem Social, econômica, política, ideológica e étnica. Problemas que se reformulam através do tempo. Problemas que se redefinem através da nova política da Ordem Mundial sob o controle unilateral dos Estados e da ONU agora por eles controlada e também pela reformulação dos valores raciais com a substituição dos valores de uma antropologia dos anos 50 quando foi formulada internacionalmente uma declaração que não haviam raças inferiores nem superiores na face da terra. Uma nova antropologia genética que põe em dúvida essas conclusões e reassume a ofensiva racista apresentando argumentos segundo os quais os brancos são superiores e os negros e não brancos de um modo geral são considerados inferiores. Neste tema complexo, quando as ideias sociais estão sendo substituídas pelo neoliberalismo e a economia planificada entre níveis e aspectos, mudando-a para a nova economia de mercado é necessário avançarmos no conceito da igualdade social. Tanto que o nosso partido político “PV” – Partido Verde luta hoje e lutará sempre por uma democracia igualitária, onde todos somos iguais independente de cor, raça, sexo, credo ou posição socioeconômica. Os direitos humanos são entendidos como inerentes à pessoa pela sua condição de dignidade humana.

A Xenofobia existe no Brasil desde o século XIX, onde era mais violenta contra os Portugueses, mas atingiam também outros imigrantes: Espanhóis, Italianos, Sírios que disputavam o mesmo mercado de trabalho dos brasileiros. Durante a ditadura militar de 1964 os comunistas foram considerados disseminadores de ideologias “estrangeiras” contrárias à pátria, que também sofreram grande violência por tomarem suas posições .

Hoje a Xenofobia no Brasil ocorre principalmente contra argentinos, americanos pelo motivo de discriminação contra brasileiros, latinos e africanos nos Estados Unidos, os chineses pela sua cultura e contra os nordestinos principalmente nos estados do Sul e Sudeste, por vários motivos, tão ignóbeis que não merecem ser citados.

Bem, não é só a Xenofobia que nos dá este ar de indignação. O racismo! Do ponto de vista cientifico nenhum individuo da mesma espécie possui características biológicas ou psicológicas singulares, mas o saber racional controla todas as nossas práticas e valores culturais. Em suma, somos todos iguais. A raça humana descende diretamente do HOMO SAPIENS, do latim Homem Sábio originais da África há cerca de 200 mil anos, atingindo o comportamento moderno (viver em comunidade, caçar, pintar, etc) à cerca de 50 mil anos.

Infelizmente temos outras formas de violência contra o cidadão brasileiro. A Homofobia, uma epidemia no Brasil, onde um homossexual é morto a cada 36 horas no pais. À propósito o Brasil é o campeão mundial em assassinatos de homossexuais. Onde está a mobilização social por um pais mais justo e inclusivo propagado pelo governo federal? Seguindo esta linha de raciocínio e a violência conta a mulher? A violência contra os idosos, contra os portadores de necessidades especiais, contra os animais?

Precisamos definitivamente de uma Nova Ordem Social no Brasil. Precisamos mudar o Brasil! Com esta frase fomos as ruas, pedimos reformas políticas, pedimos mudanças, refletimos sobre o futuro. Nós estavamos todos juntos, irmanados, homens, mulheres, brancos, negros, asiáticos, gays, católicos, protestantes, crentes, ateus. Todos por um mesmo objetivo. Discutirmos, para buscarmos um pais mais justo, um transporte mais justo, melhoria na saúde e educação...

Tem que ser assim. Será utopia? Pode ser! Mas se não sonharmos um Brasil melhor, se nada fizermos? Para onde iremos? Somos um pais miscigenado, bonito, continental, com muitas diferenças, mas com um só objetivo. Fazer do Brasil um grande pais, respeitado pelas suas diferenças étnicas, religiosas, que respeite a isonomia de seus cidadãos e que não sejamos coniventes com a violência, o ódio e a discriminação.

Ricardo Teixeira - Candidato a Verador pela Cidade de São Paulo pelo Partido Verde.